NETFLIX E OS PADRÕES DE CONSUMO: A NOVA ESCALA DE CONSUMO REVELA QUAIS AS SÉRIES DE TELEVISÃO QUE DEVORAMOS E AS QUE SABOREAMOS

Os membros da Netflix veem compulsivamente séries como "Rutura Total", "Orange is the New Black" e "The Walking Dead"; e são seduzidos por séries como "House of Cards", "Narcos", "Bloodline" e "Mad Men"

Os membros da Netflix em todo o mundo estão a criar as suas próprias regras no que toca à atividade de ver televisão. Em vez de ver um episódio por semana, os membros da Netflix optam por ver uma série de seguida, o que significa que, em média, veem uma temporada completa numa semana. Embora o “binge watching” (possibilidade de ver uma temporada de uma série de seguida, consumo compulsivo) seja hoje a nova tendência, nem todas as séries são vistas da mesma forma. A Netflix apresenta hoje a Escala de Padrões de Consumo, que revela quais as séries que devoramos e quais as que saboreamos.

A Netflix analisou os padrões de consumo* mundiais de algumas das séries de televisão mais populares da atualidade e apurou que, quando os membros estão focados em chegar ao fim de uma série, veem ligeiramente acima das duas horas por dia até concluírem a temporada. Quando as séries são organizadas em função deste ponto de referência, começam a surgir padrões interessantes, que vão desde as narrativas de grande intensidade de ação, que são devoradas, aos dramas psicologicamente complexos que são saboreados.

Séries como Sense8, Orphan Black** e The 100 prendem a atenção e estimulam os sentidos fazendo com que, conforme demonstrado pela Escala de Padrões de Consumo, seja muito difícil interromper. Os elementos clássicos de terror e dos thrillers são viscerais e colocam séries como The Walking Dead, American Horror Story e The Fall no topo da escala de consumo. Por outro lado, comédias com um lado dramático, como Orange is The New Black, Nurse Jackie e Grace & Frankie, parecem também despertar a curiosidade ao ponto de dizermos "só mais um...".

Não é de admirar que narrativas mais complexas, como House of Cards e Bloodline sejam vistas a um ritmo mais lento, ou que os espetadores gostem de saborear os detalhes de séries de época, como Peaky Blinders e Mad Men. Talvez menos óbvia seja a escolha de comédias irreverentes como BoJack Horseman, Love e Unbreakable Kimmy Schmidt. Mas o comentário social subjacente ao humor próprio destas séries, combinado com personagens tão idiossincráticas como divertidas, leva a que sejam "saboreadas".

“Tal como a Escala de Padrões de Consumo demonstra, a forma como uma série é vista varia bastante, desde os conteúdos mais comoventes até aos mais complexos”, afirma Cindy Holland, Vice-presidente de Conteúdo Original na Netflix. “A beleza da Netflix é a possibilidade de encontrar uma série para "devorar", independentemente do estado de espírito ou ocasião, e a liberdade de poder ver qualquer série ao seu próprio ritmo, quer se trate de saborear uma série como Bloodline ou ver em maratona o Orange is the New Black”.


METODOLOGIA

A Netflix analisou mais de 100 séries de televisão por episódios em mais de 190 países, entre outubro de 2015 e maio de 2016. A pesquisa analisou a conclusão da primeira temporada de todas as séries, por parte dos membros. Os dados incluídos contemplam apenas as contas em que a temporada foi integralmente vista. As taxas de conclusão foram organizadas em dias e horas. A média de dias para concluir a primeira temporada foi de cinco dias. A média de horas por dia variou entre uma e cinco horas, com um valor médio global de duas horas e dez minutos. As séries vistas durante menos de duas horas por dia foram consideradas como "saboreadas". Aquelas que foram vistas mais de duas horas por dia foram identificadas como "devoradas". As séries não foram limitadas por data de lançamento, duração de episódio ou número de episódios. O posicionamento de uma série na Escala de Padrões de Consumo da Netflix não tem qualquer relação com audiências.

** Nem todas as séries estão disponíveis em todos os países

Início