Do argumento ao ecrã: capacitar a produção com tecnologia

A Netflix não só mudou em muitos aspetos desde o seu lançamento há mais de 20 anos atrás, como também introduziu mudança na forma de dar vida às histórias que vemos no ecrã. Em paralelo com o processo evolutivo de se tornar num produtor global de entretenimento, a Netflix também assumiu a responsabilidade pelo processo integral da criação de histórias. A produção é um negócio complexo e sofisticado, porém, ainda não faz uso da tecnologia que facilita a inovação, colaboração e comunicação, ao contrário do que aconteceu com outras indústrias. A Netflix enfrenta um desafio ímpar no seu esforço de produção em dezenas de países em todo o mundo e a uma escala cada vez maior, com milhares de equipas de produção que criam continuamente entretenimento para e em nome da Netflix. Este é um problema que temos vindo a explorar nos últimos dois anos e estamos muito entusiasmados com as oportunidades que estão a surgir no sentido de encontrar o ponto de interseção entre a tecnologia e a produção.

Uma das prioridades deste esforço tem sido a iniciativa "Prodicle". No seu cerne, a "Prodicle" disponibiliza à nossa equipa de produção independente uma variedade de tecnologias de produção baseadas em aplicações. Este ambiente basilar permite-nos utilizar tecnologias já disponíveis (como o G-Suite da Google) para colaborar com as nossas equipas de produção, em tempo real. Adicionalmente, permite-nos introduzir novas tecnologias que restruturam os princípios do planeamento e da logística da produção. A título de exemplo, veja-se a nossa primeira aplicação web progressiva denominada "Prodicle Move".

A "Move" procura responder a uma questão simples: "O que é que está a acontecer neste preciso momento no 'plateau'?" O nosso objetivo é dar acesso a estas informações a todos os utilizadores, utilizando uma aplicação móvel que apresente dados fundamentais sobre o que se passa nas gravações. O conceito 'per se' não é inovador, mas a ideia de ser possível reunir as informações que eram anteriormente partilhadas em e-mails e PDFs e centralizá-las em tempo real abre infinitas possibilidades de melhorar a eficácia global, quer das equipas de produção quer do estúdio.

Há já alguns meses que vimos a testar a aplicação "Move" em algumas das nossas maiores produções. Os nossos parceiros nas séries GLOW e Uma Série de Desgraças são apenas alguns exemplos de colaboradores incríveis que demostraram a sua disponibilidade para alterar áreas-chave do seu fluxo de trabalho e ousaram experimentar algo de novo. De facto, poucas semanas depois de começarmos a testar o software e a recolher feedback, as nossas equipas de especialistas em 'agile' conseguiram transformar o feedback em novas funcionalidades o que, por sua vez, criou uma sólida base de feedback para desenvolvimento. É uma parceria ideal com a qual iremos continuar a aprender e a crescer.

Historicamente, o 'negócio' da produção de filmes é árduo, complexo e padece de inúmeras formas de ineficiência. Se pensarmos bem, centenas de pessoas que podem nunca ter trabalhado juntas antes reúnem-se em novos lugares em qualquer ponto do globo e gastam milhões de dólares com base numa única ideia. Para as produções que incluem várias localizações globais, este aspeto adiciona uma vertente de caos organizado, com viagens, fusos horários, práticas comerciais multiculturais, etc. Este apetite pela flexibilidade proporciona imensa liberdade à equipa criativa, mas ao mesmo tempo sobrecarrega a produção com processos de organização altamente complexos. A produção de filmes como forma de arte tem de ser encorajada e preservada, mas a melhoria dos aspetos operacionais que suportam essa forma de arte é um elemento importante deste esforço. Porquê? Porque reduz o peso dos processos operacionais e permite que as nossas equipas possam investir mais tempo em contribuir como especialistas criativos.

Muitos dos rudimentos de qualquer negócio imperam também na área da produção. A gestão de pessoas, as relações instalações/fornecedores, o planeamento e a logística, a comunicação global, a segurança e proteção são necessidades fundamentais que estão dentro do âmbito do negócio de criação de conteúdos. Infelizmente, devido à complexidade do ambiente de produção, estas necessidades não têm sido colmatadas pela tecnologia moderna. Reconhecendo esta necessidade, várias empresas de software tentaram resolver este problema no âmbito do mercado de produção. No entanto, estas soluções não são sólidas nem modulares o suficiente para responder às necessidades que permeiam as variáveis de produção de conteúdos. Na Netflix, os benefícios de ter software tornam-se em necessidades à escala mundial. Pretendemos apoiar o crescimento do software de produção defendendo esta mudança ambiciosa, porém, necessária.

Por conseguinte, procuramos apoiar três iniciativas-chave ao nível do pessoal: tempo, capacitação e impacto. Tempo: a moeda pessoal de todos. Capacitação: o sentimento de contributo significativo. Impacto: os resultados desse contributo em virtude de uma boa utilização do tempo.

Na Netflix, estamos empenhados em aproveitar o poder da tecnologia para permitir aos nossos parceiros criativos eliminar os ónus táticos da gestão de produções em grande escala para os artistas e para a equipa. Capacitar as pessoas para que possam realizar seu melhor trabalho num projeto da Netflix é algo que adoramos fazer, e acreditamos que a tecnologia associada aos grandes talentos criativos irá ajudar a concretizar este objetivo.

São muitos os desafios que enfrentamos. A adoção não será fácil, uma vez que estamos a lidar com um ambiente impregnado de dependências herdadas do passado. Acreditamos que o sucesso depende da descoberta e do desenvolvimento de soluções que beneficiem igualmente os ambientes de produção e de estúdio. A parceria entre a Netflix, a comunidade tecnológica e a comunidade da produção de entretenimento é um elemento-chave.

Siga o blogue tecnológico para ter acesso a futuras publicações e obter mais detalhes sobre os nossos esforços de desenvolvimento e futuras estratégias táticas referentes à introdução de tecnologia, no ambiente de produção e de estúdio.

-Chris

Chris Goss é diretor da tecnologia de estúdio na Netflix

Mais de Blogue da empresa

Índice de Velocidade de ISP para a Netflix - Dados a fevereiro de 2018

Apresentamos aqui alguns destaques dos dados relativos a fevereiro do Índice de Velocidade de ISP (Internet Service Providers) para a Netflix, no âmbito da nossa atualização mensal sobre os ISPs que proporcionam a melhor experiência de streaming da Netflix em horário nobre. Ler mais

Início