Women in Animation premia o compromisso da vice-presidente Melissa Cobb com a diversidade

Ao receber o prêmio Women in Animation (WIA) Diversity, em 24 de outubro, no Spark Animation Festival, Melissa Cobb, vice-presidente de animações originais da Netflix, escolheu a dedo sua acompanhante para ocasião: a filha Lena.

 “Quando penso no legado que quero deixar para minha filha, Lena, que está comigo aqui nesta noite em um recesso de seu primeiro ano na faculdade, é isto que me vem à mente”, disse Cobb, ao aceitar o prêmio.

Oferecidos em parceria com a Spark Computer Graphics Society, os prêmios WIA Diversity reconhecem indivíduos, filmes e organizações com impacto significativo na expansão da diversidade de vozes no campo da animação. Cobb foi escolhida por sua atuação de apoio a criadoras na Netflix.

Fundada em 1993, a WIA tem como objetivo reunir profissionais de animação do mundo todo com o objetivo de empoderar e apoiar mulheres na arte, na ciência e nos negócios do setor de animação.

“A missão da WIA de produzir mudanças na indústria da animação e celebrar as organizações e artistas que estão fazendo a diferença é nobre e algo a que nós estamos dedicados na Netflix Animation”, disse Cobb.

 


Ela deixou isso claro desde que entrou na empresa, em 2017. O catálogo de futuros filmes de animação da Netflix inclui diversos projetos com grande participação feminina, como My Father’s Dragon, dirigido por Nora Twomey (A Ganha-Pão); Pashmina, comandado por Gurinder Chadha (Driblando o Destino); e Over the Moon, com o trabalho da designer de produção Celine Desrumaux (O Pequeno Príncipe).

Com lançamento em 15 de novembro, Klaus marca a estreia do cocriador de Meu Malvado Favorito Sergio Pablos como diretor. Foi trabalhando no filme que a vice-presidente da WIA, Jinko Gotoh, vivenciou em primeira mão a paixão de Cobb pela defesa de novas vozes. Gotoh trabalhou como produtora em Klaus, o primeiro filme de animação original Netflix.

Ao anunciar que Cobb havia sido selecionada para receber o prêmio Women in Animation Diversity de 2019, Gotoh relembrou a ocasião, há um ano, em que a executiva da Netflix lhe pediu que recomendasse diretoras. “Eu dei a ela uma lista de três cineastas de primeira viagem”, disse Gotoh, em referência a Trisha Gum (Uma Aventura Lego 2), Clare Knight (franquia Kung Fu Panda) e Wendy Rogers (As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian). “Elas estão todas na Netflix agora. Quão empoderador e fantástico é isso?”

Além de apoiar cineastas estreantes, como Gum, Knight, Rogers e Pablos, Cobb também deu suporte a muitas showrunners em séries animadas. Entre os futuros lançamentos de programas de animação familiares estão City of Ghosts, de Elizabeth Ito (Hora de Aventura), Centaurworld, de Megan Nicole Dong (Como Treinar seu Dragão 2), Raise the Bar!, de Fernanda Frick (Here’s the Plan), e Mama K’s Team 4, da escritora zambiana Malenga Mulendema (Mama K’s Team 4 é a primeira série animada africana original Netflix).


Quando a série foi encomendada no começo deste ano, a Netflix também anunciou a parceria com as produtoras do conteúdo – a Triggerfish Animation Studios, baseada na Cidade do Cabo, e a CAKE, de Londres –com o objetivo de lançar uma busca em escala continental de escritoras locais para reforçar a equipe criativa do título.

“A dedicação dela à diversidade, o que inclui contratar muitas cineastas e showrunners de primeira viagem, é maior que a de qualquer outro executivo de estúdio no ano que passou”, disse Gotoh.

A Netflix Animation também tem vários contratos com criadoras – entre elas, a vencedora do Oscar Darla Anderson (Viva: A Vida É uma Festa) e a criadora de Doutora Brinquedos, Chris Nee.

“Para promover mudanças significativas no número de mulheres que trabalham com animação, precisamos empregar e empoderar criadoras”, disse Cobb em seu discurso. “Contratar diretoras e showrunners mulheres leva a contratações mais inclusivas em todas as áreas das produções e a histórias mais diversas.”

Além do trabalho pioneiro que Cobb e sua equipe estão fazendo na Netflix para entreter crianças e famílias no mundo todo, criadoras como a showrunner Shion Takeuchi (da futura série Inside Job) e a diretora Jen Yuh Nelson (temporada 2 de Love Death & Robots, de David Fincher) estão gerando impacto no universo da animação adulta.

E parece que a equipe de animação está apenas começando. Em abril, a Netflix e a Women in Animation se associaram em um painel na Netflix dedicado a trazer mais informações a animadoras sobre o processo criativo das séries do serviço de streaming. O evento contou com quatro mulheres showrunners de animação – Dong, Ito, Nee e Takeuchi – e abordou temas variados, como o dia a dia na Netflix Animation e as maiores mudanças para talentos femininos em toda a indústria de animação, entre muitos outros assuntos. 

Embora a maioria concorde que ainda há trabalho a ser feito, elas se disseram “entusiasmadas com os avanços que estamos fazendo”, afirmou Ito.

Em seu discurso, Cobb pareceu bem otimista sobre o futuro: “É muito importante para crianças no mundo inteiro verem-se refletidas em conteúdo de animação e se inspirarem, pelo exemplo, a se tornar os contadores de histórias do amanhã”.

– Kate Stanhope

Kate Stanhope integra a equipe de comunicação da Netflix.

Fotos de SPARK CG e Netflix

Mais de Blog corporativo

Top